Conteúdo

27 de fevereiro de 2018
Sim, eu aceito!

Não é raro deparamos com amigos, familiares enviando um convite de casamento, alguns destes carregados de sonhos e de amor. Noivos passam meses planejando o local, a cerimonia, os fotógrafos, sim! Porque não pode perder um segundo deste dia tão especial. As flores, as músicas, enfim, cada detalhe… É chegado o dia e os noivos estão radiantes, ansiosos para juntarem as páginas novas de suas vidas em uma única história. Porém, o casamento começa quando todos os convidados vão embora, quando cessam os aplausos, findam os brindes e os fotógrafos desligam suas câmeras. A vida de casal começa quando ambos têm daí para frente todos os dias para acordarem e irem dormir juntos. Essa aliança começa na cotidianidade.

No decorrer de alguns anos, alguns casais entram em guerra! Brigam constantemente, há casos que jogam seus filhos no conflito em busca de aliados, esses não sabem o mal que causam. Alguns são capazes de ficarem dias vivendo na mesma casa sem pronunciarem ao menos um bom dia.

O que mais vejo entre casais é a concorrência. Quem ganha mais, quem tem o melhor emprego, o melhor carro, quem é mais bonito, mais inteligente… Acostumam tanto a individualizar que quando chegam aos problemas não sabem resolver, se esqueceram que o plano era dividir a vida. São justamente os desafios que unem! Que fortalecem!

Acostumamos ou até mesmo gostamos de dizer: ”eu resolvo” e perdemos a oportunidade de dar ou estender as mãos e caminhar juntos na mesma direção. Não há nos votos de casamentos promessas de uma vida sem problemas, de inteira felicidade, sem frustrações. O que há são compromissos de enfrentarem juntos a pobreza, a doença, a tristeza entre tantas outras dificuldades.

A correria do dia a dia de um mundo tão acelerado faz com que muitas vezes esqueçamos de quem somos e para que ou porque nos casamos.  Tudo é muito descartável, não demoramos muito em nada. Não queremos consertar nada, buscamos por praticidade e rapidez, estamos sempre com pressa e assim muitas vezes transferimos essa pressa e intolerância aos mais amados.

Devemos demorar, olhar sem pressa aquela pessoa a quem prometemos amar e relembrar os motivos pelos quais ela se tornou especial. O motivo pelo qual você disse: sim! Eu aceito. Claro que não somos os mesmos no decorrer dos anos, somos seres em constantes mudanças, que bom que somos! Temos oportunidades de nos transformar em pessoas melhores a cada dia, reescrever, reinventar, redesenhar… muitas possibilidades estão no alcance de nossas decisões. É muito prazeroso experimentar todas essas possibilidades a dois.  É encorajador saber que temos um (a) companheiro (a)! Alguém que torce pelo sucesso! Que promova que incentive, que vibre com as conquistas do seu cônjuge.

É reconfortante ter alguém para segurar nossa mão na hora do medo, na hora dor, na hora do fracasso. Porque nem todos os caminhos são flores, de vez em quando deparamos com alguns percalços. Ter alguém para nos olhar nos olhos e fazer com nos lembre quem somos e essencial para nos fortalecer.  

Enquanto houver casais apaixonados, haverá a certeza de que vale a pena superar todos os obstáculos. O amor é que dá a beleza, é o que dá força, embala e inspira os romances e as poesias.

Autora:

Márcia Cristina Vieira, graduanda de Psicologia, 9° período matutino pela Universidade Paulista, membro do Encontro de Casais da Paróquia Nossa Senhora das Dores e voluntária no grupo de adolescentes Liga Mariana da mesma Paróquia. Atualmente é estagiária no CPA/Unip realizando Psicodiagnostico interventivo com crianças e adolescentes.

Compartilhe