Conteúdo

6 de abril de 2017
Orientação Profissional: Um processo facilitador rumo ao autoconhecimento e o conhecimento das atividades profissionais

É chegada a hora de uma das decisões mais importantes de nossas vidas: nossas futuras profissões. Nesse momento, constatamos um problema; Problema esse, que reside na incapacidade de decidir-se, de posicionar-se e, principalmente, na falta de critérios claros para tomar tais decisões.

Dentre várias opções profissionais, não somos tão bem preparados para que estejamos certos da escolha a qual faremos. Geralmente, preocupamo-nos com questões como: “o que gosto de fazer?‟, “o que me dá prazer realizar?‟, “o que sei fazer?‟, “com qual profissão me darei bem na vida?‟. No entanto, estas também devem ser acrescentadas: “ a que sou chamado?‟, “que sentido pode haver no trabalho que desejo realizar?‟, “qual a finalidade do meu existir?‟.

Saímos um tanto quanto imaturos de um ensino médio que muito ensina física, química e matemática mas pouco – ou quase nada – nos prepara para que sejamos quem somos, para uma reflexão acerca do autoconhecimento e de nossas vocações. Assim, encontram-se jovens inseguros e insatisfeitos diante de suas opções profissionais. Tornando-se evidente a necessidade de compreender esta dificuldade de escolha e de buscar possibilidades de enfrentá-la através do processo de Orientação Profissional. E é necessário que, ao realizar essa opção tão fundamental que, em princípio envolve toda a vida, o jovem possa ser convidado a aproximar-se, a perguntar-se sobre o sentido e finalidade de seu existir.

Mas o que seria essa Orientação Profissional?

É um conjunto de práticas que destinam-se a esclarecer a problemática vocacional. Tratando-se de um trabalho onde busca-se a prevenção, cujo objetivo principal consiste em providenciar elementos necessários para possibilitar a melhor situação de escolha para cada sujeito. Entretanto, esta serve não apenas para se ter um norte sobre o campo profissional a seguir, mas também como uma oportunidade de autoconhecimento, de alinhamento entre habilidades e características pessoais e da profissão, do sentido e significado do trabalho para o ser humano, da relação trabalho e projeto de vida.

Como razões à busca de orientação profissional temos:

– Insegurança quanto a escolha profissional;

– Certeza quanto à necessidade de auxílio;

– Necessidade de aumentar o conhecimento de si mesmo através da orientação, como forma de fundamentar uma análise mais acurada da situação atual e tomada de decisão mais segura;

– Necessidade de informação sobre outras possibilidades profissionais, como uma complementação importante ao processo prioritário de autoconhecimento;

– Maior necessidade de conhecer a realidade prática da profissão, como um importante fator que auxiliaria na avaliação entre permanecer ou abandonar o curso e fazer nova escolha;

– Não apresentar as habilidades requeridas para o exercício da profissão;

– Não ter conhecimento sobre o processo de inserção no mercado de trabalho, entre outras.

É importante ressaltar que no processo de orientação profissional, além das dimensões psico sociológicas, devem ser igualmente consideradas as dimensões antropológica e filosófica, que são fundamentais para o entendimento da vocação humana. Considerar uma questão do ponto de vista filosófico significa buscar a verdade sobre ela, exige uma preocupação com o todo e não apenas com sua aplicação, seu uso imediato. Nessa perspectiva, para apreender o que há de essencial acerca da vocação do homem deve-se partir da grande interrogativa sobre o ser do homem, de suas características idiossincráticas. Desta forma, partindo da concepção de pessoa de algumas categorias que apresentem tanto as potencialidades especificamente humanas quanto a expressão delas no relacionamento com a realidade, pode-se chegar a uma compreensão mais ampla da vocação humana.

Preocupa-se aqui, com a plena realização onde decisões ou escolhas assim como o caminho profissional o qual nos direcionaremos, são sustentados por características específicas para que estas, ao longo do percurso, não se tornem frágeis e/ou superficiais.

Compartilhe