Conteúdo

9 de maio de 2017
Orientação profissional: fazendo uma escolha legal

A adolescência é um período de grandes transformações que abrangem mudanças corporais, psicológicas e sociais. Muitas vezes, o adolescente experimenta essas transformações de forma “negativa”, truculenta. Somando-se a esse turbilhão, o adolescente é impelido a tomar uma decisão que fará parte de sua vida futura: a escolha profissional.

Inegavelmente, esse momento é permeado de medo, dúvidas, incertezas e ansiedade, e que, não incomum, geram muita angustia. A depender da rede social (familiares, amigos, colegas, professores…), essa angustia pode ser maximizada ou minimizada. Isto porque, a influência destas pessoas na escolha profissional do adolescente pode ser em maior ou menor grau e, tais opiniões podem, inclusive, ir contra a(s) opção(ões) elencada(s) pelo sujeito.

Outro ponto que afeta a tomada de decisão quanto à escolha do futuro profissional é a vastidão das possibilidades laborais existentes e, principalmente, o desconhecimento sobre as profissões. Há que se ter o mínimo de conhecimento, até mesmo para eliminar algumas delas e aprofundar-se nas profissões de interesse.

Por fim, e o mais importante, para uma escolha profissional bem sucedida  é fundamental o autoconhecimento. O saber “quem sou eu” e “como sou” é que permite escolher “o que fazer” e “como fazer” (Neiva,1995). Assim, o adolescente tendo consciência de suas possibilidades e limitações, além de suas características pessoais, interesses, motivações, aspirações, valores, conflitos, tenderá a ser mais objetivo e, também, assertivo no estabelecimento de seu projeto profissional.

Todos esses pontos aliados às interações familiares, à escolaridade e à realidade socioeconômica e cultural em que o adolescente está inserido, serão fundamentais para que se conceba uma boa escolha profissional. Com tantas indagações e circunstâncias, o adolescente pode ficar confuso ou até mesmo estagnado e não identificar a profissão que almeja seguir. Para auxiliar esse processo de autoconhecimento, do conhecimento da realidade profissional e de tomada de decisão, apresenta-se a Orientação Profissional.

A proposta da Orientação Profissional é auxiliar o adolescente no seu processo de compreensão de sua situação de vida, abarcando aspectos pessoais, familiares e sociais, para uma decisão assertiva sobre seu projeto de vida profissional. Assim, o profissional/orientador acompanha e facilita o processo de interação e percepção do contexto atual englobando questões relacionadas à vida e não somente referentes à profissão. O orientador jamais direciona.

O orientando é auxiliado e encorajado a sair da incerteza, da dúvida, caminhando e vivenciando essa caminhada, incumbindo-se pelo seu próprio destino. Caminhada que torna o adolescente mais consciente de si, ampliando a percepção de sua existência como um todo, facilitando a resolução de situações de escolhas assertivas, não somente no que concerne à profissão.

A Orientação Profissional pode ser realizada de forma individual ou grupal, não havendo critérios específicos que são determinantes para uma modalidade ou outro. No trabalho coletivo as trocas de experiências, as semelhanças e diferenças das dificuldades e expectativas são bastante enriquecedoras, fato que não tira a credibilidade e eficiência da modalidade individual. A opção quem faz é o próprio orientando.

Ao auxiliar adolescentes e jovens na realização de escolhas assertivas e conscientes de sua profissão, contribui-se para que esses futuros profissionais ingressem no mercado de trabalho, também, mais conscientes de suas contribuições para um mundo melhor.

“Definir o futuro não significa definir o que fazer.

Mas, fundamentalmente, definir quem ser

E ao mesmo tempo, quem não ser.”

(Bohoslavsky)

Imagem: retirada do google imagens

Compartilhe