Conteúdo

7 de fevereiro de 2017
Luto: como lidar com ele?
  • O que é?

O luto é um processo doloroso emocional que se inicia em momentos de perda. Seja a perda de um familiar, amigo, animal de estimação e até mesmo o fim de um relacionamento afetivo.

  • Como superar a dor da perda?

É importante que o enlutado perceba que este é um momento que consequentemente trará mudanças em sua concepção de vida e no campo emocional. No momento da perda, ocorre uma reflexão sobre o sentido da vida, da importância do falecido e de tudo que foi vivido com ele.

A separação material concebe a ideia da falta daquele que se foi. Essa falta gera a angústia e muitas vezes o enlutado começa a pensar sobre as ações que poderia ter feito ao lado daquele que se foi, mas que não foi possível realizar.

O processo de luto se inicia pela dor emocional, pelo tempo de superação de cada indivíduo enlutado. Esta dor vai dando espaço para o sentimento de saudade. Neste momento em que a dor ainda está em evidência, ela interage com a saudade e o que predomina é a tristeza e a solidão genuína.

Os dias vão se passando, meses e anos…

Com esse tempo o indivíduo enlutado passa por uma verdadeira transformação.

O processo natural do luto tem início pela dor, posteriormente uma saudade intensa gera a tristeza e consequentemente se transforma em “lembranças”.

No momento em que já passou tempo suficiente após a perda, ocorrem somente lembranças, e a dor já não existe mais, pois uma série de mudanças psíquicas geraram um certo conforto ao enlutado. A saudade pode permanecer por toda a existência junto com as lembranças, mas a continuidade da vida vai trazendo ao enlutado novos sentidos e novas experiências que lhe permitem aos poucos abandonar o sofrimento da perda.

Passeios, viagens, novos nascimentos na família, interação social, atividades físicas, todas essas atividades e acontecimentos ativam a saúde mental e ajudam na superação da dor.

  • Como lidar com as emoções dos enlutados?

Há muito o que ser trabalhado no que diz respeito a lidar com as condolências humanas.

No âmbito hospitalar a medicina ainda vê muita dificuldade em trabalhar o processo de luto e em dar notícias de falecimentos. Por conta deste despreparo psicológico de equipes médicas, podem ser feitas orientações, palestras e até cursos ministrados por psicólogos para estes profissionais se prepararem frente a esta situação.

É imprescindível ser cauteloso no momento da perda e no processo do luto.

Abrir mão de frases clichês é essencial para que o enlutado entre em contato com sua paz interior.

Frases como: partiu desta pra melhor, descansou em paz, foi morar no céu, etc… nada trazem de benefício ao enlutado.

O posicionamento mais importante no momento do luto é prestar solidariedade e mostrar-se útil para quem está enfrentando a dor. Atitudes simples como abraçá-lo, preparar um café em sua casa, se prontificar a cozinhar, ajudá-lo na organização dos documentos e das roupas do falecido mostrando que está ao seu lado e pode contar com sua ajuda na prática, são sempre muito benéficas para o enlutado. Sempre deixando-o a vontade para chorar e falar sobre o falecido demonstrando compreensão, isto irá permitir um ambiente tranquilo e de respeito.

As vezes o silêncio no momento do luto pode trazer muito mais conforto do que palavras desnecessárias.

Se você está passando por este processo, converse com um psicólogo, ele vai ajudá-lo a compreender e administrar os sentimentos que você está vivenciando nesta fase difícil.

Imagens: retirada do google imagens

Compartilhe