Conteúdo

2 de março de 2022
Jogos eletrônicos e competição

 

O início

Jogos eletrônicos sempre, desde a sua criação em 1962, atraíram a atenção de pessoas ao redor do mundo. Ao oferecem uma opção de diversão fácil e atualmente muito acessíveis, os jogos eletrônicos se tornaram uma verdadeira febre entre pessoas de todas as idades nas últimas décadas. E poucos anos após o lançamento do primeiro jogo eletrônico, SpaceWars, um público que além de se divertir buscava também competir, deu inicio a primeira competição de jogos eletrônicos. Estudantes do MIT se reuniram e decidiram realizar as “Olimpiadas Intergaláticas de Spacewar” em 1972, dez anos após o lançamento do jogo. Com o passar dos anos muita coisa mudou nesse cenário e um novo ramo dos esportes tradicionais surgiu. As competições de jogos eletrônicos são conhecidas pela sigla e-sports, que do inglês significa eletronic sports, ou, esportes eletrônicos

A profissionalização

Embora o primeiro campeonato de e-sports tenha sido realizado a praticamente 50 anos, foi somente depois dos anos 2000 que a competição ganhou o mundo, jogos competitivos foram se tornando cada vez mais comum e hoje em dia é fato de que indústria solta jogos com capacidade para se tornarem jogos competitivos. Blizzard com starcraft e Valve com Counter Strike e posteriormente com DOTA foram desenvolvedoras de jogos que já no começo do cenário mundial introduziram jogos com grande valor competitivo responsáveis por firmarem a base do que se tem hoje. Com muita força em países da Ásia e da Europa as competições começaram a ganhar os holofotes e naturalmente equipes profissionais foram surgindo.

Atualmente grandes campeonatos de e-sports acontecem ao redor do mundo e a expectativa é que até o final do ano de 2024 a modalidade vai movimentar 1.6 Bilhões de dólares. Tendo isto em vista as equipes tem se tornado cada vez mais profissionalizadas, contratando comissões técnicas de alto nível, jogadores e outros profissionais que possam agregar algo e lhes oferecer uma vantagem para despontar neste cenário tão competitivo. Dentre estes profissionais o psicólogo tem tido cada vez mais espaço para trabalhar com as equipes.

 

A psicologia e os e-sports

Dentro de um cenário profissional de e-sports o psicólogo tem como objetivo acompanhar o desenvolvimento dos jogadores buscando sempre avaliar e intervir sobre variáveis que possam de alguma forma interferir na performance do atleta eletrônico, com uma visão humanista e tendo em vista os limites pessoais de cada jogador.

Dentre as características fundamentais que o psicólogo do e-sport trabalha, podemos destacar as seguintes:

  •  Controle emocional

O controle emocional é fundamental para o jogador profissional, uma vez que as habilidades atletas de alto nível tendem a se igualar com o tempo. Portanto, o nervosismo e ansiedade podem decretar quem vai ser ganhador da partida. O psicólogo pode auxiliar o jogador a controlar suas emoções dentro de jogo por meio de técnicas, e fora da partida realizar acompanhamentos que permitam ao jogador dar vazão a esses sentimentos e sensações que possam prejudicar o seu desempenho e sua saúde.

  • Relações interpessoais

Também é papel fundamental da atuação do psicólogo se preocupar e ficar atento as relações interpessoais da equipe, uma vez que mesmo em modalidades de e-sports individuais as relações do jogador com a comissão técnica pode impactar seu desempenho. Deste modo, o psicólogo faz uso de seus conhecimentos para manter (ou formar) e estreitar os laços entre os jogadores, e entre os jogadores e equipe técnica. Para alcançar este objetivo o psicólogo realiza sessões em grupo com o time a fim de promover um espaço saudável onde naturalmente possam ocorrem a formação destes laços e resolução de conflitos.

 

  • Acompanhamento de treino e campeonatos

E-sports costumam compartilhar alguns requisitos para que se obtenha a vitória dentro de uma partida: habilidade individual (ou mecânica), estratégias individuais ou em grupo, reflexos, controle emocional e comunicação (em jogos em equipe) são características básicas que o atleta deve ter para conseguir ser competitivo. As habilidades que o psicólogo possui podem ser muito bem empregadas nestes pontos, uma vez que por meio das sessões em grupo pode-se desenvolver a comunicação que pode impactar nas estratégias dentro de jogo, e com o acompanhamento individual do jogador o psicólogo pode ajuda-lo a refinar suas habilidades individuais.

 

Autores:

Anderson Carvalho Oliveira | Psicólogo – CRP 09/15133

Psicólogo formado pela PUC-Goiás, utiliza os conhecimentos da Analise do Comportamento aliados as terapias de terceira onda (FAP). Atua principalmente com demandas relacionadas a ansiedade. Atualmente está realizando uma pós graduação em finanças comportamentais e planejamento financeiro pela PUC- Rio Grande do Sul.

Gabriel Rodrigues | Psicólogo – CRP 09/14571

Graduação em Psicologia pela Pontifícia Universidade Católica de Goiás. Participou de Iniciações Científicas e Apresentação de projetos em Congressos. É participante do Grupo de Estudos e Pesquisa em Gênero Esporte e Mídia (GEPGEM). Possui participação no Programa de Monitoria Acadêmica e de Voluntariado da Extensão PUC GOIÁS. Atualmente atua em psicologia clínica.

Thaliane Justino | Psicóloga – CRP 09/15203

Psicóloga graduada pela Pontifícia Universidade Católica de Goiás. Pós-graduanda em Terapias Comportamentais Contextuais pelo Instituto Continuum, com ênfase em Terapia de Aceitação e Compromisso (ACT) e Psicoterapia Analítico Funcional (FAP). Durante sua formação realizou pesquisas experimentais em Autocontrole, Ansiedade e Habilidade Sociais. Atua como Psicóloga Clínica, atendendo adolescentes, adultos e casais.

Compartilhe