Conteúdo

7 de março de 2017
Feliz dia da mulher!

Em uma semana a qual se comemora o dia da mulher, nós não devemos focar simplesmente ao fato comemorativo e sair dando parabéns a todas as mulheres que conhecemos. Sejam elas mães, amigas, colegas de trabalho ou conhecidas. O dia da mulher é muito mais do que comemorativo, ele é carregado de todo um simbolismo da luta a qual estamos participando há muitas décadas. E infelizmente, parece que ela nunca acaba.

E você sabe por que a luta continua? Porque hoje um velho no meio da rua passou por mim, olhou minhas pernas e falou: “que saúde eim?”. A luta ela não acabou porque ainda precisamos descontruir um monte de conceitos os quais restringem a nossa própria liberdade de expressão e ser. Sabe por quê? As pessoas gostam de falar que quem é homem de verdade não chora. A luta segue porque no Brasil os homens possuem salários 30% maior do que as mulheres sendo que ambos possuem a mesma idade e o mesmo nível de instrução.

Essa luta é movimento denominado feminismo, o qual, por muitos é compreendido de forma errada. Feminismo não é o contrário de machismo, não mesmo! Machismo tem a conotação de uma superioridade masculina criada socialmente a qual é o nosso dever combater, mas não para que a balança da superioridade se inverta e possa ser a vez das mulheres estarem no topo. A ideia do feminismo é manter a balança equilibrada, na mesma altura para os dois lados. O feminismo só quer isso: igualmente, equilíbrio, equiparidade. Parece tão óbvio né? Então porque a luta é tão complicada?

A complexidade da luta se dá por muitas causas. O mundo caminhava pelo patriarcalismo por muitos anos, e mudanças nunca acontecem facilmente. Pessoas resistem, outras não entendem e algumas outras… Estão felizes do jeito que vivem. Por isso a minha dica caso queira angariar mais membros para essa luta é que não bata de frente. Dê exemplos, dê dados, dê fatos. Contra essas coisas não existem argumentos.

Então além daquele parabéns pelo dia da mulher, eu lhe faço um pedido: troque o parabéns por um momento de reflexão de como as mulheres a sua volta são tratadas e qual a sua parte em tudo isso. Se você é mulher, quero que você saiba, nós também temos nossos momentos machistas, e isso não é errado. O erro é perpetuarmos a misoginia sem questiona-la. O erro é não buscarmos a mudança. Mas não se preocupe, acertar é bem fácil. Questione, pense e caso veja algo que não concorda: reaja.  O feminismo não é uma luta feita para só uma, mas sim, para todas nós.

Compartilhe