Conteúdo

13 de julho de 2021
As emoções nos encerramentos de ciclos educacionais

Quando concluímos e alcançamos objetivos em nossas vidas, muitas vezes esperamos vivenciar momentos de felicidade, plenitude, confiança, segurança, porém, é comum ouvir relatos de estudantes que, próximos da conclusão do curso no ensino superior, se sintam angustiados, inseguros e vivenciam experiências emocionais difíceis, causando sofrimento e influenciando até no desempenho acadêmico.

O encerramento do curso, ou até mesmo dos semestres, da pós-graduação, do ensino médio, são estágios que vivenciamos em nossa vida. No presente, somos sempre o resultado de todas as nossas experiências já vivenciadas, um indivíduo em construção a todo momento, o aprendizado acontece em fases, assim como o amadurecimento do ser humano.

É necessário que os encerramentos aconteçam, sendo assim, podemos perceber nossa trajetória e avaliar nossos objetivos, de onde saímos e aonde chegamos. Os encerramentos nos causam emoções, e assim, favorecem a tomada de decisão a respeito do próximo passo. Nossas emoções dizem informações importantes sobre nós para nós mesmos.

Todas as emoções são boas, apesar de que experimentá-las nem sempre seja algo agradável ou prazeroso. A saudade do encerramento e a tristeza da falta da rotina, podem sinalizar o quanto foi importante vivenciar aqueles momentos, naqueles locais ou com aquelas pessoas, pode sinalizar quais são os tipos de locais que te agradam, ou as pessoas que se sente confortável ao redor.

Se permitam vivenciar os encerramentos de cursos, semestres, matérias, observem o que sentem e prestem atenção nas informações que podem ser extraídas das emoções. A ansiedade é uma emoção que sentimos em toda nossa vida, em alguns momentos com mais intensidade e outros com menos, costuma sinalizar uma preocupação excessiva com o futuro, uma vivência mental de uma situação que não é real, gerando assim também outras emoções, como medo, raiva e tristeza. Viver no presente é a melhor forma para aumentar as chances de determinar um futuro desejado, mesmo que incerto. Podemos aumentar nossas chances de que ocorra, trabalhando todos os dias em prol desse objetivo, encontrando na ansiedade, a oportunidade de nos aproximar desse objetivo, pois ela nos sinaliza algo que gera preocupação, e é nesse momento que devemos agir, para assim favorecer a redução da ansiedade.

Mesmo que seja difícil pensar em um objetivo, ter uma clareza ou uma certeza sobre o próximo passo, podemos seguir em frente com alguma escolha, decidir viver uma vida com algum sentido, cada um tem o seu tempo, seu ritmo de crescimento e desenvolvimento. Muitas das nossas escolhas não são valorizadas no momento da decisão, mas com o passar do tempo, quando escolhemos aquilo todos os dias, com certeza se alguma decisão errada for tomada, a emoção estará lá, para te informar que algum incômodo existe, que algo precisa mudar. Durante nossa vida os incômodos são muito mais nítidos e intensos do que os momentos de felicidade.

.

Autor: ALEX PEREIRA LEITE | Psicólogo – CRP 09/10101

Especialista em Psicologia do Desenvolvimento Infantil e Adulto pela UNIARA-SP, graduado pela USJT-SP, tem experiência na área da saúde coletiva, familiar e de proteção especial de crianças e adolescentes. Atua como psicólogo clínico desde 2015 com base na psicologia humanista e na Terapia Focada nas Emoções, auxiliando em problemas de regulação emocional (medo, raiva, luto, culpa, ansiedade, etc.), relações interpessoais e familiares, autoconhecimento e temas relacionados ao desenvolvimento de crianças e adolescentes no contexto familiar e social.

Compartilhe