Conteúdo

31 de janeiro de 2019
A obesidade e seus impactos na adolescência

 

A adolescência é o período da vida caracterizada pela fase “rebelde”, das emoções à flor da pele, mas muitos não sabem que essa “rebeldia” é essencial para que este sujeito possa se desprender de seus pais/familiares e descobrir esse novo jeito de desejar, procurando autonomia. Nesta fase eles costumam questionar regras, padrões e limites impostos pela família, e muitas vezes os hábitos alimentares e de estilo de vida são questionados também.

 

Devido a esta fase da vida, muitas mudanças são ocasionadas, sendo essas: físicas, emocionais, sexuais e sociais, que causam conflitos no indivíduo, por isso é importante estar atento ao processo e presente para auxiliar o jovem nestes momentos e incentivá-los a manter bons hábitos, de forma a prevenir futuros prejuízos.

 

Muitos estudos apontam que a obesidade na adolescência está associada ao aumento na probabilidade de depressão, ansiedade e distúrbios alimentares, que podem afetar a qualidade de vida desses jovens e de seus familiares.  O excesso de peso pode afetar na sua autoestima fazendo com que o adolescente sinta vergonha de seu corpo e acabe se isolando, interferindo no desenvolvimento natural desta fase da vida, podendo assim, potencializar uma autoimagem depreciativa acarretando em inseguranças futuras.

 

A psicoterapia neste momento pode ser muito importante para que o (a) jovem sinta-se acolhido em suas angústias, proporcionando um espaço de escuta e de compreensão, onde possa expressar as suas dúvidas, desejos, medos, pensando acerca da sua forma de sentir e estar no mundo, ressignificando a relação com a comida.

 

Fonte: Portal Brasil, com informações do Ministério da Saúde

Compartilhe